Dois poemas

26dez06

Como hoje tô sem nada pra fazer e tenho dois poemas escritos à mão em papeizinhos vagabundos, postá-los-ei, eternizando-os, enquanto durar estamerda. Lá vai

Brincar com palavras

Brincar com palavras

É o jogo mais bom

Portanto brincamos

Sorri tu, Drummond.

Meados de dezembro

O vira-latas e seu mendigo

Agora vens falar de mim?

Sou eu que sou safado?

Por que me olhas assim?

O sujo rindo do mal lavado.

Você também não é inocente.

Quem vê, pensa que é santo.

O que aconteceu com a gente

Pra se degenerar tanto?

Mas não vamos nos rebaixar.

Não é ruim essa vida vadia.

Vou dormir aqui ao luar.

Amanhã é outro dia.

Santos, 11 de dezembro de 2006.

Anúncios


No Responses Yet to “Dois poemas”

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: