Minha histórica primeira matéria no Agência Facos – que não seja a última!

15mar07

No outro sábado (3/3/07, calendário ocidental, acho), fiz a diagramação, junto com um colega, do Agência Facos, jornal laboratorial da faculdade. Terça (6/3, só fazer as contas), saía meu nome impresso na linda última página A4 da publicação. Só que eu fiz só a diagramação do bendito, não fiz matéria. Mas o tempo é sábio e neste sábado (10/3/07, calendário de Brasília), EU estava na rua, entrevistando, em ação, ao vivo e a cores – menos para os daltônicos.

O negócio funciona assim: às 8h, a gente leva duas pautas desenvolvidas e cinco pré-pautas para os professores, e eles escolhem uma para o aluno fazer a matéria. Em duas horas -dependendo do lugar-, o aluno volta para a redação para redigir (dãaa…) a reportagem. Aí o professor corrige, dá uns toques, manda reescrever, e alguns alunos ficam para o fechamento, onde se decide o que vai para a capa, etc., etc. Esse processo todo termina no meio da tarde, ou até mesmo no fim dela, é um negócio que vareia.

Minha pauta foi sobre… lê a matéria, que fica melhor:

Abandono de terrenos da Unilus incomoda vizinhança

               Os terrenos do campus III do Centro Universitário Lusíada (Unilus) estão causando incômodo aos moradores das residências vizinhas. A fundação adquiriu três terrenos adjacentes à unidade da Rua Batista Pereira, 265, porém nenhuma obra foi realizada nos locais.

               A principal reclamação dos moradores diz respeito à alta vegetação dos lotes, que provoca a proliferação de mosquitos. Além disso, muito lixo é jogado nos terrenos. Maria Ivanize de Moura Varela, dona de um restaurante próximo aos terrenos, afirma que já viu algumas vezes um casal guardando drogas num dos locais.

A funcionária pública Teresa Cristina Borges de Campos, que mora há 13 anos na Rua 28 de Setembro, paralela à Batista Pereira, cobra ações das secretarias de obras, de saúde e de assistência social, além de maior vigilância por parte da faculdade. Segundo ela, além dos insetos e dos caramujos africanos que aparecem no verão, há a invasão dos moradores de rua, que no local fazem suas necessidades fisiológicas, “tanto naturais quanto sexuais”.

 

Joicy Rossler, auxiliar administrativa de uma empresa de segurança patrimonial, localizada ao lado de um dos terrenos da Unilus, mostra nas pernas as marcas de picadas de mosquito. Eudaldo Pozzeti Ramos, agente de escolta da mesma empresa, queixa-se de ratos e reclama do fato de a universidade não construir nada nos locais.

 

Moradora há 26 anos de um prédio vizinho aos terrenos da universidade, Maria Aparecida dos Santos vê pela janela do quarto o que acontece nos locais. Diz que sem-tetos defecam em meio à vegetação alta e sugere a limpeza dos terrenos, além do levantamento de muros de concreto, solução paliativa enquanto nada se constrói. “Quando eles vão construir, só Deus sabe”.

 

No sábado, a universidade ergueu um muro de concreto no último terreno que contava com portão de madeira, a fim de conter as invasões.

 

_____________________________________Márcio Ribeiro Garoni

OBSERVAMENTOS

  • Outra pauta minha saiu no Agência, falando de uma exposição. Um amigo pegou, foi lá e fez;

  • Maria Aparecida dos Santos é dona-de-casa, faltou isso;

  • Minha matéria saiu duas vezes no jornal! Acho que o professor de diagramação, o Claudio Lemos, quis se vingar porque nenhum aluno da outra turma apareceu para fazer a diagramação, ficou só ele! Realmente, é uma matéria para ler e reler…

Anúncios


8 Responses to “Minha histórica primeira matéria no Agência Facos – que não seja a última!”

  1. Oi Márcio! Parabéns pela primeira matéria na Agência Facos! Não vai ser a última…Gostei…conseguiu muitas fontes, muito bem escrita(mas isso já tá ficando repetitivo de dizer) rs..o q a universidade teve a dizer?alguma resposta?solução? é um absurdo mesmo…boa apuração..até o próximo post!

    Resposta: Não, eu tentei procurar a universidade, mas sábado ninguém “responsável” estava lá, e como o professor já tinha me alertado isso e falado pra pegar só depoimentos mesmo, ficou assim.

  2. “É uma matéria pra ler e reler”..rs com certeza! amei

  3. Olá!
    Obrigado pela visita ao blog!
    Peço desculpas pela demora na resposta, tive que deixar de lado a escrita “irresponsavel” essa semana e só fiz textos de trabalhos para a facul.
    Seu blog também é muito bom. Agora um pergunta: Será que a primeira noticia a gente nunca esquece?
    =]

    Resposta:Trabalhos pra facul? Se eu não soubesse o que é isso… Nem precisa se desculpar, tô semi-f#dido com a faculdade também.
    Não sei se a primeira notícia a gente nunca esquece, mas pelo menos tá registrada aqui, caso eu sisqueça.

  4. Ficou ótima a matéria Márcio, já tinha dito…
    E até no Agência, vc consegue ser engraçado…
    aqle depoimento sobre necessidades fisiológicas, “tanto naturais quanto sexuais”, foi a melhor parte…hauhauau
    E tb, não sei como vc conseguiu essa informação dos terrenos, mas se foi observação sua msmo, não tirada de outro veiculo, fico mais contente ainda, pq o q eu ando vendo (até msmo no meu caso rsrs) é falta de criatividade e curiosidade na busca de assuntos que não sejam apenas algum evento q está tendo na Cidade, ou algo q tdo mundo já sabe.
    Até entendo o pessoal, tdo mundo trampa, se mata, não tem mto tempo pra buscar e descobrir outras coisas…
    Eu msma vou ver se no próximo me esforço mais em encontrar algo legal, vamos ver, se a preguiça não me impedir huahuahua…
    E parabéns, mais uma vez ( dpois desse monólogo) !!! Espero e tenho certeza q virão mtas outras matérias!! hehe
    bjoo

    R: Não tinha como passar despercebido esse descaso, eu moro no quarteirão da Lusíada…
    Agora não é mais um monólogo, né, eu respondi…

  5. Parabéns pela matéria!!!

    Que muitas ainda venham por ai, pois tu tens futuro!!! 😉

    R: Brigado, ainda mais por falares em segunda pessoa.

  6. 6 Lorrayne

    oi!!!

    nesta minha primeira visitinha ao seu blog gostaria de dizer q adorei a sua matéria… claro q porque ela tah muito bem escrita, mas, principalmente, porque é um assunto que realmente interfere na rotina das pessoas e que a sua matéria poderia ajudar a resolver, se fosse num jornal maior, né??? no agência a gente tenta… mas naum tem tanta importância para quem pode resolver. bom… beijinhus e até uma próxima!!! ah, boa sorte sábado!!!

    R: Valeu, Lô. Vocês têm que ler a matéria da Lorrayne também. Por coincidência, uma semana depois ela foi na mesma faculdade, onde houve um evento da LBV. Muito bem escrito.

  7. =)

    boa essa!!!

    R: Concordo, principalmente com a =)

  8. Cara, eu sempre fui ruim em redação! :/
    Quer dizer… até o ano passado. Vamo ver se esse ano [com o costume do blog] não melhora!! _o/

    Dizem que aula de Língua Portuguesa e mais leitura ajuda um pouco, mas sei lá…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: