O Manifesto Canhotista

15set07

Vai, Márcio, ser gauche na vida!

Este texto que segue foi publicado no blogue da Turma do Cantão, semi-inutilizado, lá no longínquo 30 de dezembro de 2006. Fez um sucesso retumbante -se é que sete comentários (alguns de completos desconhecidos), uma citação no orcúti (de outro desconhecido) e num outro blogue (desconhecido também) significam retumbância sucessiva. Publico por aqui porque acho que foi uma pérola da minha curta vida de blogueiro, que deve estar completando um ano. Também porque não estou com o mínimo de tempo e idéias para escrever ineditividades, nem mesmo inutilidades.

Nunca pensei que fosse escrever sobre minha condição de canhoto, assim como sobre a situação do canhoto perante a sociedadade e, conseqüentemente, perante o mundo. Mas decidi me engajar, tô revoltado. Como todas as minorias que se tem idéia já se rebelaram e expuseram ao mundo suas dificuldades, eu, que sou canhoto (com muito orgulho, com muito amor), começo aqui o que deve ser a última revolução de uma classe oprimida, convocando desde já os mãosquerda de todo o Brasil. Lá vai, cuidado:

O mundo foi feito para os destros, não há como negar. Neste momento, estou escrevendo este texto a lápis, e como a escrita corre da esquerda para a direita, minha mão passa por cima do texto. Se não borra o folha, borra meus dedos, que sempre ficam manchados; caneta, então… Hoje tem o computadpr, que aparentemente equilibra as coisas, usamos as duas mãos. Mas vai ver onde fica o teclado dos números. Se algum contador desse mundo for canhoto – acho que não existe contador canhoto nesse mundo, no máximo ambidestro – concerteza ele ainda usa a boa e pirata calculadora de mão. Não muda no videogueime: os botões que exigem mais do viciado são os da direita, à mão esquerda cabe tão-somente a função do burocrático “direcional”, quando muito a do pause.

No violão – não que eu tenha tocado -, inverter as cordas. No jantar, trocar de mão com os talheres – eu que sou pouco apatralhado. Na sala de aula, entortar-se na carteira para destro: quando a gente acha carteira para canhoto, se desacostuma e vai pondo o cotovelo direito no encosto que deveria estar lá – mas tá do outro lado; do chão não passa… Acho que só em alguns esportes o canhoto tem vantagem, por estar acostumado a sempre disputar contra destros, ao passo que o destro raramente enfrenta canhotos. O boxe e o tênis de mesa são dois exemplos.

A gente vê claro esse preconceito contra os mãosquerda nos idiomas. No francês, gauche, que significa “torto”, “errado”. No italiano, sinistro, que denota algo sombrio, ruim. No inglês, direito é right, certo?. Em português mesmo é escancarado, “direito” é certo, correto. E a palavra destro, que na nossa língua também quer dizer “habilidoso”, “hábil”. Lindo, não?

Pode apostar, companheiro, se você é destro e tem uma caligrafia sofrível, nasceu canhoto e foi “endireitado”. Conheço um amigo que sofreu na carne isso, literalmente. Eu, quase. E não sucumba às armadilhas das elites mãodireitistas que apelam para ser ambidestro, porque canhoto de verdade é canhoto até sem o braço esquerdo!

Provavelmente até essa parte do texto só chegaram os canhotos. Os destros abandonaram, até porque é uma situação que a eles não diz respeito, a realidade dói. Vocês dois ou três canhotos que resistiram bravamente, agora sabem que por que a esquerda nunca tem vez no Brasil, não é? Por isso que eu digo:

CANHOTOS DE TODO O MUNDO, UNÍVOROS!

(Será que o final eu escrevi direito? Ainda bem que não!)

Anúncios


4 Responses to “O Manifesto Canhotista”

  1. Esse texto já é um clássico da literatura bloguística… Muito bom msm…
    Saiba que os melhores instrumentistas que eu conheço são canhotos… Inclusive eu queria muito ser canhoto, quem sabe assim eu aprendia a tocar, né? Como isso não é possível vou continuar enrolando os trouxas que pensam q eu toco bem, huahuahauhauah!

    Gostei dessa idéia de literatura blogúistica. Será que isso pode um dia me levar à Academia Brasileira de Letras?

  2. Não sei se dá pra ir pra Academia Brasileira de Letras… Mas vou te dar uma idéia: funda a Academia Brasileira de Blogs. Ora, se o Machado de Assis pode porque vc não pode?

    Boa idéia! Melhor que a minha do Dia dos Amantes.
    SIM, EU PODO!

  3. Olha, de fato canhotos tem certos problemas, ops… problemas, apenas.rs Mas por serem raros, eu acho o canhotismo admirável. São sobreviventes!
    Minha amiga só conseguiu abrir, fechar e trancar portas depois dos doze. E ainda hoje apanha dos armários de vestiários. Porém, meu pai tbm é canhoto, mas a letra dele é impecável! E ainda por cima é arquiteto, desenhos igualmente impecáveis!
    E eu sou destra e cheguei ao final, bobo. O pior preconceito é o de si mesmo. (A filósofa…deixa eu terminar logo esse comentário…rs)
    Entonces é isso… E obrigada por, mesmo eu não vindo comentar aqui, vc ainda ir no meu! 🙂
    Beijos!

    Pelo visto, sua amiga não é só canhota, é retardada.
    Não entendi o espanto com a letra impecável do seu pai. Você viu minha caligrafia também, não é?
    Eu sei quando você me visita, boba. O wordpress é infalível!

  4. Errr..humm… Visitar não significa ler… =/
    O “espanto” é q, segundo vc, os canhotos são todos errados. Mas a letra do meu pai é muito certinha. 😉

    Errados não, só não são direitos. Minha caligrafia também é ótima, você sabe.

    Não leu, mas visitou. E isso já basta para os meus propósitos. Vou te agradecer quando conseguir um patrocínio milionário. Aí eu abro o “Portal Crônicas”. Daí a dominar o mundo, é moleza.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: