Waking Life

13jul08
Sonho é destino

Essa é a abertura de Waking Life, o filme que tem feito minha cabeça há mais ou menos um mês, quando vi. Sério, eu passei a olhar a vida de outra forma. E os sonhos também.

O filme nem é tão recente (de 2001). Não conta uma história, com começo, meio e fim. O protagonista (se é que podemos chamar assim) está em um sonho, ouvindo o que diferentes pessoas têm a dizer sobre assuntos relacionados à consciência humana, religião, filosofia, além, é claro, de cinema. Alguns monólogos são tão profundos que fui obrigado a repassar trechos do filme.

O diretor, Richard Linklater, recentemente dirigiu os filmes Nação Fast Food (06) e O Homem Duplo (06). A tecnologia de animação deste último (o palavrão rotoscopia digital) é um aperfeiçoamento da utilizada em Waking Life.

Também dirigiu os filmes Antes do Amanhecer (95) e sua seqüência, Antes do Pôr-do-Sol (04), outros dois filmes incríveis. Ele reaproveita o par Ethan Hawke-Julie Delpy em uma cena de Waking Life.

Aqui vai mais uma seqüência, que fala de sonhos lúcidos, com uma surpresa no final:

Vale a pena assistir. Mais alguns trechos aqui.

Imerso nessa onda de sonho lúcido e tal, li na Trip do mês passado uma matéria súper foda sobre o assunto, no Primeiro Fórum Mundial Psicodélico, com direito a viagem de LSD e tudo. A reportagem tá aqui.

Tava devendo os filmes vistos no cinema:

abr.:

2 Dias em Paris (2007, FRA/ALE) – Julie Delpy

Ao Lado da Pianista (2006, FRA) – Denis Dercourt
Angel (2007, UK/BEL/FRA) – François Ozon
Apenas Uma Vez (2006, IRL) – John Carney

mai.:
A Culpa é do Fidel! (2006, FRA/ITA) – Julie Gavras

Persépolis (2007, FRA/EUA) – Vincent Paronnaud e Marjane Satrapi
O Buda (2005, ARG) – Diego Rafecas
Senhores do Crime (2007, EUA/CAN/ING) – David Cronenberg

O Banheiro do Papa (2007, BRA/URU/FRA) – César Charlone e Enrique Fernández

Longe Dela (2007, CAN) – Sarah Polley
Traídos pelo Destino (2007, EUA) – Terry George
Shine a Light (2008, EUA) – Martin Scorsese
Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal (2008, EUA) – Steven Spielberg

jun.:
O Incrível Hulk (2008, EUA) – Louis Leterrier
Antes Que o Diabo Saiba que Você Está Morto (2007, EUA) – Sidney Lumet
Sobreviventes: Os Filhos da Guerra de Canudos (2004, BRA) – Paulo Fontenelle
Partículas Elementares (2006, ALE) – Oskar Roehler

Anúncios


4 Responses to “Waking Life”

  1. devo, não nego, pago quando puder.

    ***

    Ah, eu queria tanto ver esse Angel…quando eu fui na mostra não tinha mais ingresso! ¬¬ é bom?

    Ok, acontece.

    O Angel é ruim. Os efeitos especiais foram feitos pela equipe do Chaves. E a história não me convenceu. Se bem que é mais pra mulher ver.

  2. Faz um bom tempo que não paro nestas bandas. Poderia alegar falta de tempo, alíás, tenho usado muito esta desculpa. Até foi, mas a verdade era a falta de tempo para degustar coisas boas.
    Ótimos filmes. Waking Life é bárbaro. Os demais, nem preciso comentar. Sensacionais.

    Sobre o poema: palavras rotas, sentimentos distantes e bobagens sentimentais.

    Sobre o “último adeus”, uma perda eterna e lastimável. Não sei o que mais doi, se é a perda ou os dias que seguem depois da perda. Dor, meu amigo. Dor.

    Eu sei o que é isso, Edu. É tanta coisa na cabeça que falta mesmo vontade de visitar alguns sites. Às vezes é bom até se desligar da web.

    E só o tempo ameniza a dor.

  3. ótimo post sobre um ótimo filme.
    parabéns pelo blog tbm!
    queria mto ver “o banheiro do papa”, o que vc achou? persépolis tbm estava na minha lista… Partículas elementares chama a tenção pelo nome, do que trata o filme?

    beijão!

    O Banheiro do Papa é ótimo. Engraçado e triste na melhor medida. Procura ver sim.
    Persépolis é muito bom também.
    O Partículas Elementares é alemão, sobre dois meio-irmãos com vidas diferentes. Cada um tem uma dificuldade, que tentam resolver ao longo do filme. Gostei.

  4. ah.. você tinha escrito “de pois” e eu escrevi “a tenção”, estamos empatados.
    Sabe qual é o diretor do Partículas…?
    Sim, Paris Je t’aime tem suas preciosidades. Só mais uma coisa, adorei o nome do blog.

    É, empate.
    O diretor do Partículas está escrito lá, Oskar Roehler. Se eu não me engano, é o mesmo diretor do Corra Lola, Corra. A Franka Potente (Lola) também está no Partículas.
    Sobre o nome do blogue… putz, eu já mudei uma ou outra vez, mas esse título é o que vai se eternizar mesmo. Às vezes eu acho uma porcaria, mas acabo gostando. Afinal, não poderia sair coisa melhor da minha cabeça. Deve ser ruim para quem busca doenças crônicas no google, mas aí não é problema meu.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: