Arte Natural

19out08
Fotos: Guilherme Júnior

Folhas de palmeira e de coqueiro, casca de troncos de árvore, bambus são matérias-primas encontradas na garagem de Marluce Vieira da Silva, que há 30 anos é moradora do Jardim Piratininga. Ela faz trabalhos com biscuit, além de fontes, fruteiras, luminárias e outras peças artísticas com materiais da própria natureza.

Marluce fazia tricô, crochê, e até hoje tem uma máquina de costura em casa. Porém, a fibromialgia a impediu de continuar costurando. O interesse pelo biscuit surgiu há cerca de dez anos, assistindo ao programa da Ana Maria Braga. Marluce começou a comprar revistas que ensinavam a técnica, e passou a fazer pequenas montagens. “Os primeiros trabalhos eram horríveis”, confessa. A atividade sempre foi solitária: devido a um trauma de infância, Marluce não consegue aprender com outra pessoa.

Depois, passou a fazer fontes de água. São utilizados bambus, pedras, conchas, todos coletados por Marluce e sua família. Já materiais como verniz, argamassa e a bomba d’água precisam ser comprados. Fruteiras, luminárias e enfeites artísticos são outros objetos feitos pela dona-de-casa, que vive com marido, três filhos, uma sobrinha e um neto.

A principal dificuldade é vender os objetos. O fato de um bairro como o Jardim Piratininga, à margem da Rodovia Anchieta, ser carente, faz Marluce acumular em casa os trabalhos. Não há um canto que não seja ocupado por uma de suas obras. Mas ela não é egoísta: presenteia os parentes com sua arte natural.

 

 

Uma fonte grande, por exemplo, tem um custo de R$ 140 com materiais. Marluce leva um mês para terminar o trabalho. “Já fui ver em loja, e uma fonte dessa custa R$ 700, R$ 800. Meu filho tentou rifar, mas pouca gente comprou a rifa, vou ter que devolver o dinheiro”. Agora ela conseguiu vender a fonte para uma vizinha. O preço? R$ 350. “Quando eu comecei a fazer, achava que não tinha valor”.

Marluce tem depressão, e o movimento de amassar o biscuit, por exemplo, ajuda a diminuir a ansiedade. Por isso, ela não aceita encomendas, e fica dias sem retomar o artesanato.

Hoje ela também é autodidata na web: pesquisa na internet novas técnicas, e desenha em um caderno os próximos objetos. “Mas eu sempre faço diferente”, faz questão de dizer.

Com a possibilidade da internet, ela já pensa em divulgar na rede sua arte. Nesses dez anos de trabalho, nunca havia dado entrevista, por ser tímida. Depois dessa primeira prova de fogo, pretende mostrar a todos seu artesanato.

 

Novidade na rede: Baixada em Cena, blogue sobre cultura na região. A primeira postagem já está no ar.

Anúncios


4 Responses to “Arte Natural”

  1. 1 Mariana

    Nem li seu post, mas eu quis fazer uma propaganda básica do meu, e agora eu estou postando com mais frequência.

    Por isso eu sou cara de pau e peço pra vc ir lá, sendo que eu nem li nada.

    Mas como vc é legal você vai lá.

    beijos.

    Pelo menos é sincera. Ordinária, mas sincera.

  2. Sabe o que eu acho mais legal do wordpress?
    Que quando eu tô logada, ele não linka meu site. Muito legal.

    enfim, aí em cima sou eu.

    Pois é… é a vida. Numa hora voce tá logado, mas o site não linca, outra hora… esquece.

  3. Minha tem um quadro q ela fez muito parecido com o dos peixinhos…vou mostrar a ela depois esta matéria…gostei do estilo dela..
    abçs..

    Bem, eu sou suspeito para falar, dona Marluce é uma artista.

  4. faltou o mãe* rs

    Suspeitei desde o princípio


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: