Archive for julho, 2014

pedras frias prédios céu e sol mais uma tarde de concretos rasgando a alma e partindo corações em cada ap


pombas e ratos esmagados no asfalto só consigo distinguir as patas, o couro, penas são os caminhões do porto dessa cidade que mata minha cidade que mata como nas histórias que ouvia, office boy no centro do conferente esmagado por um contêiner cheio (de café ou soja ou morte) do estivador morto por umas sacas […]