Archive for setembro, 2015

batalhas

20set15

tenta-se vencer a monotonia desses tempos convites educadamente recusados despretensiosos? explosões sinceras tarde da noite cedo à vontade da primeira pessoa imagino como poderia ter sido conto as coisas pela metade talvez contando que se complete a intenção já que para quem é feito de silêncios algumas confissões são bombas


sumido

18set15

papéis há meses na mochila nem sei mais o que dizem contas que atrasam eu que carinhos batidos no liquidificador consultas por fazer pedaços que vão para o lixo problemas dos outros, tão meus, todos meus ausências previsíveis sem face re ta lha do cachaças, jogos fugas cinemas poemas


olho

16set15

um olho percebeu o susto do outro que descobriu certa alegria as andadas a pobre filosofia correspondência certa corou, no chão a busca de segurança o tempo suspenso mas eis que mais uma vez hesita trai o de dentro o erro o verbo, sempre ele se une não serve mais – não sou isso nem […]


ganhar um livro

09set15

ganhar um livro de um grande amor é como ter um filho a dedicatória pesa a vontade é de mostrar pra todo mundo passo pela rua as pessoas parecem satisfeitas o mendigo da praça sorri uma menina corre o dia é branco como a capa e as páginas novos poemas do velho safado a vontade […]


silêncio

01set15

é que ando meio sem palavras (quem disse que melancolia inspira mentia)