Archive for the ‘Filosofia de buteco’ Category

“Mas as encrencas e a dor é que mantêm a gente vivo. Um trabalho de tempo integral. E às vezes nem dormindo dá pra descansar. No meu último sono, eu me via embaixo de um elefante, não podia me mexer e ele soltava um dos maiores cagalhões que eu já vira, já ia cair, e […]


  diz o arquivo: 30 de novembro de 2007 quase três anos parece tão longe é, o tempo passa e o espaço então ficou mais largo! ultrapassou os muros da facul: o de azul e a de verde, vejo sempre a de amarelo, vez ou outra se aparece escondida em algum canto do Guarujá tá […]


Expresso 22

20mar10

Cacete, 22 anos! Foto: “Tidós“, de PtM 1985 Já se passou um quarto da minha vida (um terço? metade? meu deus!), e eu mal senti. Mentira, os anos têm sido muito bem aproveitados. Mas os sinais da idade são indisfarçáveis. Vou elencar os três mais evidentes: 1) Uma semana sem lâmina de barbear me torna […]


A busca

04jan09

Pensou em escrever, mas por onde começaria? Um texto nunca é sua ideia original. Isso porque o pensamento não se faz com palavras-encadeadas-coerentemente-em-um-conjunto-de-sentenças-claras-o-bastante-para-fazer-sentido-a-qualquer-um. Já estava no segundo parágrafo, mas aonde aquele texto iria levá-lo? Qual seria seu objetivo – o do escritor e o do escrito? Alguém certamente iria ler, mas será que iria gostar? […]


Vou pôr aqui um trecho de um livro que estou lendo (quem acredita?), Mídia e Pânico: saturação da informação, violência e crise cultural na mídia, de Malena Segura Contrera (2002). Depois vou dizer o que eu tenho pensado ultimamente sobre esse assunto, que diz respeito a nós dois (eu e você, claro). “O espetáculo virtual, […]


Um breve ensaio sobre o Ócio Quem inventou o trabalho não tinha mais o que fazer – sabedoria popular – A preguiça é o ato de descansar antes de estar cansado – Sócrates, 57, mora aqui perto de casa – Quando Deus chegou no sétimo dia e, cansado daquela trabalheira toda, decidiu descansar, inventou mais que […]


EXT. BANCA DE JORNAL – MANHÃ Chega MÁRCIO, nosso protagonista, com uma revista na mão. Aparenta estar de bom humor, mas seu tom geral é sério. Aproxima-se do TIOZINHO DA BANCA e diz: MÁRCIO Bom dia, eu comprei ontem essa apostila, mas comprei errado, essa é ensino fundamental, a certa é ensino médio. TIOZINHO DA BANCA […]