Posts Tagged ‘crônica’

Um domingo desses estávamos eu, Natasha e uma amiga, a Dani, no vão do Masp, na Paulista, assistindo uma banda que tocava ali. O dia estava lindo, um sol incrível, a música ajudava a tornar tudo ainda mais leve. E a tarde se iluminou ainda mais quando se aproximou uma mulher, de pele escura, com […]


Uma segunda

16abr13

Numa lanchonete na Rego Freitas, enquanto almoço um mistinho e uma esfirra, com suco de laranja, o senhor, que chuto uns cinquenta e poucos anos, ou quarenta e tantos, cabelo grisalho meio comprido, cavanhaque, diz pro garçom já é dia quinze, como o tempo passa, e dá licença você, jovem, desculpa, você sente o tempo […]


As estátuas querem parecer pessoas vivas, e isso até é normal. Mas que coisa estranha pessoas vivas querendo parecer estátuas! Foi agora há pouco, na av. Paulista, que eu vi a mais bela delas. Ainda se preparava, embranquecendo o rosto, colocando as luvas, para que nenhuma parte da pele ficasse evidente. Em cima da caixa […]


Expresso 22

20mar10

Cacete, 22 anos! Foto: “Tidós“, de PtM 1985 Já se passou um quarto da minha vida (um terço? metade? meu deus!), e eu mal senti. Mentira, os anos têm sido muito bem aproveitados. Mas os sinais da idade são indisfarçáveis. Vou elencar os três mais evidentes: 1) Uma semana sem lâmina de barbear me torna […]


Tudo errado

13maio09

Acordo com o despertador que já tocou pela terceira vez. Na primeira, nem ouvi; na segunda, não tinha acordado direito. Tive até um sonho interessante, mas foi interrompido quando acordei. Mas não importa, já que nem lebro mais o que sonhava. Vou para o banho, e me seco com uma toalha que está meio úmida. […]


Eu o vi nascer anos atrás. Convivi com ele desde então. Pequeno, teve dificuldades para andar, assim como as irmãs. Mas se mostrou esperto, e logo aprendeu a soltar a voz para pedir comida. Sempre brigou com as irmãs. Desde pequeno quis ser o macho da família, mesmo fazendo xixi onde não devia. E quando […]


Fragmento

13dez08

A campainha avisava que a tarde daquele sábado seria diferente das últimas. O sossego era perturbado, mas ele queria mesmo alguma novidade. Precisava de novidades, pensou, enquanto ia até a porta. – Oi, Lucas, tudo bem? Sua mãe está? Bem ele estava, mas a mãe não estava ali. Tinha saído e só voltaria à noite, […]